Torre do Relógio

Fonte: Junta de Freguesia de Tentúgal

Classificação: Imóvel de Interesse Público (segundo o Decreto n.º 37 728, DG, I Série, n.º 4, de 5-01-1950)

Localização: Largo da Olaia, Tentúgal

Início de Construção: Século XV

Estilo Arquitetónico: A torre é uma edificação de planta quadrada, com portal gótico de arco quebrado no piso térreo e com arestas chanfradas em triângulo, para a rua principal. Um pouco acima da altura dos telhados, há uma janela gótica na parede sul da torre e uma seteira cruciforme. A estrutura possui, no registo mais alto, ventanas em todas as faces, e dois relógios, sendo rematada por merlões (Castro, 2016, Direção-Geral do Património Cultural, 2006 & Município de Montemor-o-Velho).

O interior divide-se em dois pisos. Assim, o piso térreo tinha arcarias e tetos abobadados, sendo que o piso superior apresentava uma porta em arco quebrado (atualmente entaipada, de estilo gótico), que permitia acesso às antigas casas da Câmara à altura do 1º andar (Castro, 2016, DGPC, 2006 & Município de Montemor-o-Velho).

Em suma, a Torre do Relógio apresenta uma construção de origem medieval, que fazia parte do edifício dos Paços do concelho. Consiste, pois, numa arquitetura quadrada, estreitando na altura e finalizada por quatro merlões. A sua porta principal é gótica, com arco quebrado constituída por arestas chanfradas em triângulo. No interior, tem porta, também, gótica, confinando com as outrora casas da Câmara. Apresenta, ainda, duas arcarias antigas e tetos abobadados. A sul da torre, temos uma janela gótica e uma seteira cruciforme, como também ventanas e um relógio. Nas memórias paroquiais de 1758, o prior António coelho da ascensão escreveu:

mas há no meyo da villa huma terra quadrada contigua à cadeya e Cazas da Camara, que mostra haver sido de observaçam antigamente; e segundo atradiçam vulgar foy fabricada pellos mouros quando habitavam esta villa. he admitavel a doreza de sua materia; porque tendo muito delgadas as paredes, e huma altura Concideravel, se acha sem o melhor sinal de ruina sustentam o dous sinos hum da Camara outro do relogio publico.

História: A Torre do Relógio de Montemor-o-Velho, contemporânea da Igreja Matriz e do Paço dos Condes de Tentúgal, começou a ser construída no século XV, desconhecendo-se a data exata da sua edificação. Existe alguma controvérsia em torno da utilização inicial da torre e de quem a teria mandado erguer. Naquela época, no século XV, esta torre era considerada a torre do relógio da Câmara (Castro, 2016, Direção-Geral do Património Cultural, 2006 & Município de Montemor-o-Velho).

Existem autores que afirmam que a torre pertencia aos Paços do Concelho. Por outro lado, outros investigadores consideram o Infante D. Pedro como seu edificador (Oliveira, 2006).

Segundo alguns autores, esta torre terá pertencido à Torre de Menagem de uma fortificação. Já outros investigadores consideram que esta torre tenha sido edificada sobre uma anterior (Castro, 2016, Direção-Geral do Património Cultural, 2006 & Município de Montemor-o-Velho).

Graças à influência do Infante D. Pedro, a atividade agrícola em Tentúgal, nesta altura, seria beneficiada, com a introdução da cultura do arroz e do milho de espiga da Guiné.

No século XVIII, Luiz Cardoso afirmou que a torre parecia ter servido para observação e que, de acordo com a tradição, teria sido edificada pelos mouros. Esta torre não apresentava qualquer sinal de deterioração, o que mereceu elogios aos mouros da parte de Luiz Cardoso.

A Torre do Relógio sustenta dois sinos, um da Câmara e outro do relógio. Também segundo a tradição, existem referências a umas estrebarias do Infante D. Pedro, duque de Coimbra, no local onde está o largo (atrás da torre), bem como ter havido ali, no século XIX, umas casas velhas com uma janela manuelina semelhante à da Quinta do Lapuz (Castro, 2016, Direção-Geral do Património Cultural, 2006 & Município de Montemor-o-Velho).

Em 1974, a Direção Geral de Edifícios e Monumentos Nacionais realizou a reparação dos rebocos, da escada e dos refechamentos interiores, bem como o assentamento do pavimento e da porta. Atualmente, a Torre do Relógio pertence à Junta de Freguesia (Castro, 2016, Direção-Geral do Património Cultural, 2006 & Município de Montemor-o-Velho).

Referências Bibliográficas:

Castro, P. (2016). Torre do Relógio. Disponível em: https://www.visitarportugal.pt/coimbra/montemor-velho/tentugal/torre-relogio

Direção-Geral do Património Cultural (2006). Torre do Relógio. Disponível em: http://www.patrimoniocultural.gov.pt/en/patrimonio/patrimonio-imovel/pesquisa-do-patrimonio/classificado-ou-em-vias-de-classificacao/geral/view/74010

Município de Montemor-o-Velho (s/d). Torre do Relógio. Disponível em: https://www.cm-montemorvelho.pt/index.php/component/k2/item/219-torre-do-relogio

Botão Voltar ao Topo