Largo do Rossio

(Soares, 2020)

Foi considerado, durante muito tempo, o “coração da vila”. Neste espaço, decorriam festas e feiras, nomeadamente as feiras que se realizavam todas as quintas-feiras. Aos sábados, vinham oleiros de várias localidades próximas, vender panelas e outros tipos de loiça de barro. Deste modo, a feira, realizada todos os sábados, passou a designar-se por “feira das panelas” (J. Craveiro, comunicação pessoal, 22 de setembro de 2020).

O termo “Convento Real” tem uma história associada, que deve ser partilhada. Em tempos passados, mais de metade das raparigas que existiam no convento não eram freiras. Isto porque, neste espaço, procuravam proteção, refugiando-se de perigos, problemas da vida quotidiana e, ainda, fugindo de casamentos não desejados (J. Craveiro, comunicação pessoal, 22 de setembro de 2020).

Reza a tradição de que eram cantadas serenatas no largo do Rossio, desde o dia quinze de julho até o dia dezasseis de julho, período que coincidia com o dia da recolha da imagem da santa em direção à igreja, até o sol nascer (J. Craveiro, comunicação pessoal, 22 de setembro de 2020).

Texto produzido por João Pedro Relvas Soares, baseado em José Craveiro

Botão Voltar ao Topo