Glória Afonso

(Soares, 2020)

A Glória Afonso aprendeu a fazer pastéis com a senhora Conceição Faria. Glória Afonso, segundo populares, era a pessoa com mais jeito e com mais tato para o fabrico dos pastéis. O público-alvo da venda destes doces eram, sobretudo, as pessoas socioeconómicas mais favorecidas. Grande parte do sucesso do negócio destes pastéis foi graças ao estupendo trabalho de Glória Afonso. O filho dela herdou alguns dotes, em termos de manuseamento dos pastéis. No entanto, a massa fina e delicada destes doces é trabalhada com maior eficiência e com maior eficácia pelas mãos sensíveis das mulheres (J. Craveiro, comunicação pessoal, 22 de setembro de 2020).

Texto produzido por João Pedro Relvas Soares, baseado em José Craveiro.

Botão Voltar ao Topo