Dr. Armando Gonsalves

Dr. Armando Gonsalves (1879-1955)

Filho do Dr. Francisco Gonsalves, administrador da casa de Cadaval em Tentúgal, legou a seu filho o Dr. Armando Gonsalves a administração do Paço e mais propriedades da casa de Cadaval.

Médico Chefe do Sanatório da Quinta dos Vales e Diretor de Dispensário Central Anti-Tuberculoso de Coimbra, com a especialidade de clínica Geral – Doenças Pulmonares.

Homem de grande humanidade, prontamente se dedicou a ajudar com cuidados médicos as pessoas com dificuldades económicas da freguesia de Tentúgal e arredores.

Abria a sua clínica todos domingos, por volta das sete da manhã até as treze horas, dando desta forma gratuitamente as consultas e em muitos casos pagava os medicamentos e deslocamento a aqueles que nada tinham. António Cavaco ainda se lembra de o Dr. Armando dizer-lhe “o dinheiro dos pobres queima-me a mão”.

Em 2003, no dia 6 de Dezembro foi-lhe prestado homenagem ao colocar um busto no largo da Chieira,Tentúgal, em forma de gratidão e lembrança daquele que foi um grande homem. Também o Centro Hospitalar de Coimbra/ Hospital dos Covões, a 29 de Julho de 1978 inaugurarão uma composição escultórica de arte contemporânea do autor Vasco Berardo.

Para além do homem humanitário, via-se o Dr. Armando Gonsalves a passear com o seu Darracq de 1902, que seu pai comprara por 2.050$00. Chegou à alfandega da Figueira da Foz, em Outubro de 1902, com o despacho de máquina agrícola, dado que não havia modelo para os automóveis.

Foi registado a 20 de Fevereiro de 1903, como também os exames de condução de ambos, ao que, ao Dr. Francisco foi atribuída a carta nº. 1 e seu filho a nº. 2. O Darracq foi-lhe atribuído a matricula nº.1 de Coimbra.

Foram as inúmeras viagens realizadas pelo país, no final da vida do Dr. Armando o Darracq esteve parado no celeiro do palácio dos Duques de Cadaval até ser vendido (1952) ao Dr. Trajano Pinheiro e Carlos Madeira Lopes, para o oferecerem a João de Lacerda, como presente de anos. Foi restaurado nas oficinas em Lisboa.

O Darracq brilhou nas corridas de London-Brighton nos anos de 1974, 79 e 86, no Rallye du Luxembourg de 1978 e por fim no Rallye des Ancêtres dans les Hauts de Seine.

Atualmente o Darracq encontra-se no Museu do Caramulo fundado pelos filhos do Dr. Jerónimo de Lacerda, Abel e João de Lacerda.